terça-feira, 24 de julho de 2012

LEIRIA À NOITE





Afinal como é que está a vida noturna em Leiria? Uns dizem que já não é como era, outros dizem que nunca esteve tão boa. Pois muito bem, para tirar as teimas, nada como ir para o terreno e ir ver o que se passa. Claro que numa noite não deu para ir a todo o lado, mas num sábado destes, eu e um camarada de longa data, fizemos uma inspeção digna de registo.

O antigo restaurante-bar O Arco, situado nas traseiras do Centro Comercial D. Dinis, que durante anos foi paragem obrigatória para muita gente, transformou-se em Arka Noid.  Agora, em vez de bifes e tulipas, serve cerveja, vodka e rock n’ roll. A estrutura está igual. A nova gerência deu-lhe uma nova decoração e, como não podia deixar de ser, deu-lhe o toque da moda: rock n’ roll vintage. O Arka Noid até nem está nada feio: forraram o balcão do bar com cartazes de bandas de rock e cenas dessas (onde é que eu já vi isto?), meteram mobiliário do século passado, têm lá um Dj a lançar White Stripes e Velvet Underground para a pista de dança e à saída têm uma daquelas máquinas que dão snacks em troca de umas moedas - o que até está bem visto! No meio disto falta-lhe povo. Resta saber que povo é que lá vai parar: se o tipo que compra a t-shirt dos Sex Pistols na Pull & Bear ou o gajo que vai a Paredes de Coura?!

Seguimos caminho e fomos conhecer o Tapas e Companhia,  antigo Água Benta. Ao leme deste negócio está um rapaz bem simpático que anda a ver se aguenta o barco. No Tapas e Companhia servem tapas, como é fácil de perceber, refeições económicas e aceitam reservas para jantares de grupo. Depois funciona como bar até às 2 da manhã. Merece uma visita.

No terreiro, onde tudo se passava, agora apenas existe o Sebentas e Os Filipes (pelo menos não vi mais nada aberto…). Os Filipes trabalham bem há mais de 20 anos, têm boa clientela, música que vai do rock dos anos 80 aos Arcade Fire e têm uma super esplanada para admirar uma das zonas mais bonitas da cidade. No Sebentas existem uns tubos de ensaio com umas misturas alcoólicas esquisitas como especialidade da casa e uma mesa com um jogo qualquer, tipo pingue pongue, mas não cheguei a perceber muito bem o que era. A música anda à volta dos hits atuais e tem ambiente de Politécnico, seja lá isso o que for.

Ao entrar na Rua Direita vimos um mar de gente que nos alegrou a alma: a noite leiriense está bem viva e recomenda-se! Encostámos logo ao Mau Feitio, bar aberto recentemente, com gente no comando de elevada sabedoria nestas coisas da noite. Ali a ideia principal é servir Gin importado e petiscos de grande qualidade. Um conceito novo na cidade que se saúda! No Mau Feitio a música está virada para as eletrónicas e a cargo dos melhores Dj’s do género.

Continuámos. Próxima paragem: Pátio das Cantigas, agora com outro tipo de cantigas. Ouve-se música de paragens mais alternativas com marca registada do The Club e ao que parece também servem tapas…dali, normalmente, vai-se para o Beat, discoteca situada junto ao mercado municipal, famosa pelas suas noites Unknown Pleasure com o Dj Carlos Matos. Mas nós não fomos para o Beat. Ainda dava para ir beber mais um copo ali na área. Fomos andando e entrámos no novíssimo Abre Latas. Local perfeito para petiscar, beber um copo e dar dois dedos de conversa. Inspirado nas antigas mercearias, o Abre Latas aposta numa carta com uma grande variedade de latas de conserva (Tricana, Minerva, Comur, Campos Santos, etc.) que o cliente pode pedir para abrir ou então levar para casa. Nota de destaque para a excelente imperial e carta de vinhos elaborada por quem sabe.

Para terminar a noite, escolhemos o bar Sétimo no Centro Comercial D. Dinis. Com uma vista impressionante sobre o casario e Castelo, o Sétimo tem tudo para ser o melhor espaço noturno em Leiria, mas ainda não o é. Bares como o Clube Ferroviário, em Lisboa, ou umas passeatas pela Rua Galeria de Paris, no Porto, e Cais do Sodré em Lisboa, podiam transformar aquela casa num local noturno ainda melhor. Leiria não precisa mais de bares dourados e prateados com publicidade a vodkas que custam uma pipa de massa. Leiria precisa é de ideias novas, criativas.

Esta foi uma das muitas rotas possíveis. Podíamos ter começado na Praça Rodrigues Lobo, saltar de esplanada em esplanada, ido ao Soho e ao Anúbis, acabando a noite no Suite ou no Glam. São muitas as possibilidades na noite Leiriense, basta querer divertir-se e encontrar o sítio que mais lhe agrada. E não se esqueça de apanhar um táxi no regresso a casa. Não vá o Diabo tecê-las…

(Texto publicado na rubrica SABOR do Jornal de Leiria no dia 19 de julho 2012)

Sem comentários:

Enviar um comentário